História 14
O SURGIMENTO DO SACI



Para desfrutar do paraíso, o Criador moldou em barro duas figuras, submetendo-as ao cozimento para o melhor acabamento da forma imaginada, resultando numa delas, devido ao tempo mais prolongado de exposição ao calor, a característica coloração enegrecida.
Adquirindo vida, as criaturas foram denominadas de Adão e Saci, sendo que este logo saiu a perambular pelo paraíso, movido por inSACIável curiosidade, vagando, assim, em meio dos demais viventes recém dispostos na natureza.
Ao ver-se deixado sozinho, Adão queixou-se ao Criador que, mandando-o dormir, retirou-lhe uma costela e confeccionou Eva para a sua companhia.
Retornando, Saci surpreendeu Adão e Eva em folguedos amorosos, envoltos em beijos e abraços, quando, então, indagou sobre a origem de tão admirável beldade, desejando, também, participar daquele namoro, mas sendo logo repelido por Adão, o que o fez, desolado, voltar a perambular pelo paraíso.
Não demorou muito e o Saci encontrou o Maligno Triplo, representante do demônio na superfície terrestre, com mais ou menos a configuração política atual, e que lhe perguntou sobre a origem de tamanha tristeza com que andava a esmo por ali.
O Maligno Triplo disse, então, ao desconsolado Saci: não faz mal, deixe que eu darei um jeito nisso. Durma você, também, que se Deus fez aquela maravilha toda com uma costela do Adão, imagine o que eu não poderei fazer a partir de uma perna sua.
Após isso, os acontecimentos não foram bem elucidados, tanto nas escrituras como nos demais documentos seqüentes, nem mesmo no célebre inquérito mandado levar a efeito por Monteiro Lobato, havendo a necessidade de se empreender maiores e mais profundas investigações sobre esta teoria que tem como principal característica explicar a razão de tão grande diversidade racial verificada no gênero humano, dentre brancos, negros, índios e mulatos.
Ao que consta, como punição pela ambição e inveja praticadas, o Criador teria condenado o Saci a locomover-se perpetuamente sobre uma perna só, além de reproduzir-se através da postura de ovos, constituindo a entidade hoje conhecida cientificamente como Homo sapiens unipede.

São Paulo, 03 de novembro de 2006

João Evangelista de Melo Neto
melonetoje@uol.com.br

<< voltar